Você está aqui

Quênia: MSF saúda decisão sobre ilegalidade do fechamento de Dadaab

09/02/2017
Tribunal superior declarou que fechar o campo de refugiados de Dadaab seria uma medida ilegal
Quênia: MSF saúda decisão sobre ilegalidade do fechamento de Dadaab

Foto: Lynsey Addario/VII

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) saúda a decisão do tribunal superior do Quênia que declara ilegal o fechamento do campo de refugiados de Dadaab. Na mesma ocasião, o tribunal reestabeleceu o Departamento de Assuntos de Refugiados.  

Campo de refugiados de Dagahaley, em Dadaab (Foto: Tom Maruko / MSF)Esse é um passo extremamente positivo na vida de centenas de milhares de refugiados que se encontravam em meio ao limbo e à incerteza desde que o anúncio oficial do fechamento do campo foi feito, em maio do ano passado.
MSF encoraja o governo do Quênia a manter a decisão. Qualquer retorno de refugiados à Somália deve ser realizado de forma voluntária.  

Desde o início, MSF se opôs fortemente ao plano de fechamento do campo de Dadaab, fazendo apelos pela consideração imediata de soluções alternativas ao assentamento de longo prazo em acampamentos, como o aumento do reassentamento de refugiados em outros países, a estruturação de acampamentos menores no próprio Quênia ou a integração de refugiados em comunidades quenianas.

MSF começou a trabalhar em Dadaab em 1992 e, atualmente, é o único provedor de cuidados médicos no campo de Dagahaley. Equipes da organização estão trabalhando no hospital de 100 leitos do acampamento e em dois postos de saúde, oferecendo serviços ambulatoriais, assistência de saúde mental, cirurgias, tratamento para HIV e tuberculose e consultas de pré-natal.