Você está aqui

Fim brutal de uma vida curta

12/07/2017
O assassinato de um bebê no hospital no leste da República Centro-Africana

Amsterdã/Bangui, 12 de julho de 2017 – o impiedoso assassinato de um bebê num hospital em Zemio, República Centro Africana (RCA), onde a organização médico-humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) administra um projeto, mostra a extrema brutalidade contra civis no crescente conflito, com o número de lugares seguros diminuindo.

Na terça-feira, 11 de julho, dois homens armados chegaram ao hospital Zemio, onde cerca de 7 mil deslocados internos se abrigaram nas últimas duas semanas por conta do escalonamento do combate na região sudeste da RCA.

Os homens ameaçaram uma família no hospital. Um membro da família chegou como paciente há duas semanas, mas foi incapaz de deixar as instalações por causa da violência em curso. Quando a mulher, que segurava o bebê, e dois membros da sua família buscaram se esconder, os homens atiraram na sua direção, atingindo a criança na cabeça e a matando instantaneamente. Os membros da equipe de MSF testemunharam todo o incidente.

“Estamos em choque e tristes pelo assassinato de uma criança pequena no hospital em que trabalhamos em Zemio. Nossas condolências vão para a família da criança. Nossos pensamentos estão com eles e com todos que presenciaram essa morte brutal”, disse Mia Hejdenber, coordenadora de projeto de MSF na RCA.

“Essa criança foi baleada nos braços da mãe, em uma instalação médica: os dois lugares em que uma criança deveria estar mais segura. Agora, a família está em luto pelo futuro que ela nunca terá”.

“A insensibilidade desse ataque destaca tanto a natureza indiscriminada como o aumento perturbador da violência contra civis na RCA. Isso demonstra a total falta de respeito que grupos armados na área têm pelos cuidados médicos e pelos civis, o que assinala a diminuição do espaço para ajuda humanitária na RCA com a deterioração da situação de segurança. Isso também forçou a saída dos profissionais de MSF de Zemio, deixando milhares sem acesso adequado a cuidados de saúde na região”, acrescentou Mia Hejdenberg.   

Mais de 200 mil pessoas foram deslocadas em Zemio – com muitos tendo sido feridos e não conseguindo acessar cuidados de saúde – depois dos recentes embates.

MSF administra 12 projetos na RCA e trabalha em Zemio desde 2010, administrando no momento um projeto comunitário de cuidados de HIV/Aids. O projeto de HIV/Aids de MSF é o único desse tipo em toda a região sudeste da RCA e fornece tratamento gratuito para mais de 1600 pacientes que vêm a Zemio de locais a 250 quilômetros para buscar tratamento.
 

Leia mais sobre